Páginas

20 de março de 2009

Muiéres ...

Ontem, durante as minhas "perambulânças" pela net encontrei esta matéria na Revista Época que me deixou comovida. Vou deixar o link aqui pra vocês e não vou dizer sobre o que se trata pois por trás deste exemplo de "mulherão", existe uma história muito triste e muito comentada na midia e não gostaria de usar este espaço para ( mais uma vez ) falar sobre isso. E que mulherão esta "moça" se mostrou para mim! Uma mulher dedicada a sua carreira e que sobretudo, ama o que faz!

Lendo esta matéria, comecei a pensar em como é grandioso e bom ser mulher. Longe de mim ser feminista e deixo claro que não o sou, pois acredito que não deve haver disputa entre homens e mulheres afim de saber quem é o melhor. Na minha opinião, ambos tem suas características, direitos e deveres e, no conjunto da obra, se completam.


Ao mesmo tempo que acho que é muito bom ser mulher, penso também que com tudo o que veio das conquistas das mulheres ao longo dos anos, veio também a CULPA. Caaalma mulherada, já exprico: Se uma mulher tem uma big carreira, é independente e bem resolvida, no fundo se culpa por abdicar de ser mãe e esposa em tempo integral, sempre tentando compensar a sua ausência relativa. Se a mulher é esposa e mãe em tempo integral, se culpa por não ter uma carreira e no final das contas saber se valeu a pena abdicar dos próprios sonhos em prol da família. Uma vez ouvi de uma pessoa relativamente próxima que eu iria "emburrecer" ao longo dos anos por ter escolhido cuidar da casa, do marido e dos filhos ... Meu Deus, quem será que no fundo está emburrecendo? Alias, quem disse que inteligência se mede apenas pelo numero de livros que você leu, pelas faculdades que cursou e principalmente, se você trabalha ou não! Não deixei de pensar, apenas fiz uma escolha!

Onde será que está o equilíbrio nisso tudo? Será que há uma forma de ter equilíbrio? Será que um dia vamos nos arrepender das escolhas que fizemos, independente dos benefícios que elas trazem? Qual das duas opções é a mais vantajosa? Por isso que amo ser mulher! Não tenho certeza de nada, mas vivo intensamente cada minuto, dedicando muito, muito amor à escolha que eu fiz há três anos atrás na minha vida, mas sempre admirando outras mulheres que tomaram o caminho contrário!

Viva a Diferença! Êeeeeeeeee ... tinha que ter um toque de humor aqui!

Beijos!

Sah

4 comentários:

Renato disse...

Aplaudo a Sah. E aplaudo em pé. Todos fazemos as nossas escolhas e as fazemos conscientes. Eu escolhí ser pai, ser bom marido, bom amigo. E levo essas escolhas comigo sempre, pois me trazem sempre coisas boas. Apesar de ter ficado meio deprê depois de ler a reportagem, tive certeza absoluta que se fosse um homem, talvez o resultado fosse outro. Temos que parar com essa hipocrisia de que mulher é sexo frágil. Mulher dá a luz, tem TPM, cólicas, cuida da casa, hormônios à mil, coisas que nenhum homem aguentaria. Dou graças a Deus por ter crescido numa casa com 3 mulheres (irmãs e mãe). Me fez ver com outros olhos o universo feminino. Se num primeiro momento tirei vantagem disso (era apenas um adolescente...rs...), passei a ver que meu lugar era realmente de coadjuvante, que a verdadeira estrela era a mulher que fosse ocupar o lugar na minha vida. Antes que me chamem de qquer coisa, sou muito bem casado, tenho um filho maravilhoso e sou muito bem resolvido. E acho muito cretino esses homens machões, que acham que lugar de mulher é no tanque. Vai lá lavar a louça prá ela, cozinhe prá ela, seu idiota. Seja cavalheiro! Assuma sua masculinidade no sentido real da palavra e seja homem de verdade, cavalheiro, educado e companheiro!

Luciana disse...

Têm certas vezes que entro neste blog e me revolto!

Me revolto com o que leio, me revolto com a hipocrisia!! Neste mundão digital cada um cria o seu personagem, cria o seu "lado perfeito" esquecendo que ninguém é perfeito!!

E sabe o que é pior? As pessoas esquecem que são conhecidas, não devemos julgar a vida toda da pessoa, nem uma infinitesimal parte do que conhecemos, porém, somos humanos e acabamos julgando, INCLUSIVE EU!!

Eu que defendo tanto não julgar os outros, é inevitável quando vemos a hipocrisia nua e crua em nossa frente!

Todos erram, eu erro, vc erra, o vizinho erra, mas quando EU erro, peço desculpas e tento ser uma pessoa melhor, mas em momento algum entro em blogs e visto a roupinha de santa, pq isso é hipocrisia!

Têm uma frase que gosto muito, "quem te conheçe que te compre", e isso é ABSOLUTAMENTE verdade!!

Posso dizer que conheço algumas pessoas que escrevem neste blog, e posso dizer que, na infinitesimal parte que as conheço fico indignada com o que escrevem! Isso é julgar?? É sim, mas é que sou humana!!

A única coisa que vcs não verão sair de minha boca são fantasias sobre a minha pessoa, e é por isso que fico indignada quando leio "maquiagens" por aqui!

Anônimo disse...

Eeeeeeee, vamo cozinhar, lavar, passar, enquanto a muié trabalha e sustenta a gente!

Renato disse...

Antes (ou depois) que alguém diga (ou tenha dito), eu fui um cara que não merecia o mínimo de crédito. Sempre tive minhas crenças, muitas delas descritas acima, muitas delas que ninguém conhece e não vão conhecer jamais. Sou julgado pelo que fui, por como agí e sobre o que disse e pensei e fiz. E ainda serei. E não me arrependo de nada do que fiz. Todo o caminho que trilhei, todas as pessoas que choraram com o que fiz ou não fiz, todas as coisas erradas e certas me levaram até aquí onde estou hoje. Me fizeram ser o que sou agora: um pai extremamente dedicado e apaixonado pela minha família. Errei absurdamente, fui canalha, mentiroso. Mas não aceito críticas de ninguém que não me conheça. Ninguém mesmo. Conviva comigo, viva a minha vida e verá o que acontece, verá como sou e como fui. Verá o que a experiência de vida (faltam séculos de estrada!) pode trazer de bom. Julgue e corra o risco de ser julgado. Eu posso dizer que viví minha vida em sua plenitude até agora, com meus erros e acertos, e não vivo dentro de uma "zona de conforto". Acerto e erro na mesma proporção, mas meus acertos me trazem muito mais sucesso que meus erros. E assim vai ser até o final da minha vida, porque quero vivê-la por completo. Errando ou acertando. Pq minha vida está além de um seriado americano tipo "família feliz, cachorrinhos no quintal, torta no forno, passarinho na janela". Não. Eu prefiro muito mais uma trilha sonora hardcore que me faça ver a vida de verdade e me mantenha o pé no chão, do que cantigas de ninar num mundo rosa cheio de borboletas e bolhas de sabão.
PS: Se revolte mesmo, julgue com toda sua força. Essas pessoas não merecem o mínimo de crédito seu mesmo. Mas não se esqueça: what goes around, comes around. Um dia, quem vai deixar uma brecha é você, e alguém vai apontar o dedo prá você. E aí, what goes around, comes around.