Páginas

9 de fevereiro de 2010

Atari voltou - Parte III

Eu sei que eu sou a irmã mais sumida desse blog, mas não postar não significa não ler. Sendo assim, estava eu na minha visita diária ao nosso querido Coisas quando me deparo com o post-resposta sobre o Atari e óveo (como diria Dna. Sah), eu tinha que relatar a minha versão dos fatos! Há!

Como vocês sabem, eu sou a irmã mais nova. E irmão mais novo sofre muito, fala a verdade. Então, quando minhas adoráveis já tinham seus 13-15 anos, eu comecei a jogar Atari, mas isso já era ultrapassado: o legal era jogar Mega Drive. E eu, no alto dos meus 6 anos, mal conseguia pular dos carrinhos de supermercado no Jogo do Guardinha (outro apelido carinhoso para jogos do Atari), quem diria jogar Sonic! E aqui entra um fato muito curioso da história: a LUM não se contentava em apenas zerar o jogo e pegar as esmeraldas... nããão... ela PRECISAVA salvar o jogo com 99 vidas (o máximo de vida possível), o que tornava tudo mais difícil: eu mal conseguia matar os bichinhos, quanto mais pegar as vidas e aqueles milhões de anéis! Foi então que eu tive uma sacada: vou jogar com o Tails, afinal, ELE VOA! Pronto, estava feita a caca. Tanto a LUM quanto a Dna. Sah falavam que o Tails só atrapalhava, mas era o único jeito que eu conseguia jogar. Inevitavelmente aconteciam lágrimas, gritos e uma bronca. Toda vez.

Outro jogo que era térribou e tirava minhas noites de sono: o Altered Beast. Rouli-móder-fãqui o cara que inventou esse negócio, que eu nem gosto de atribuir o nome 'jogo'. O personagem basicamente andava por vários cemitérios durante todo o jogo e você tinha que ir matando os zumbis à la resident evil do paraguai. Cara, isso me dava um medo devastador. E elas adoravam jogar. Na verdade, eu acho que tudo era um plano muito bem pensado: elas jogavam esse, eu chorava de medo e saia da sala; aí Mamis soltava os cachorros, elas trocavam de jogo, mas eu não voltava pra sala! Espertas, não?

Mas ao que quero me ater é: tanto LUM quanto Sah são extremamente competitivas! LUM é apelona, daquelas que no Mortal Kombat, se você caía, não levantava mais; a Sah é estressada, ouse você não jogar como ela acha que está certo (isso incluí jogos de tabuleiro, de palitinhos, de dados, de folha...), ela vira um bicho frõ réu. Sério. Não queiram ver as duas jogando, ainda mais uma contra a outra: é provável que até você, um mero espectador, saia debaixo de gritos!

Beijos,
Mari.

4 comentários:

MeL disse...

kkkk ai mari.... rindo muito... eu sofria também, mas meu era pior, porque era uma irmã e um irmão mais velho, ele era ruim demais cara, e eu amava ele... massss ele ficava fudido porque mesmo sento 9 anos mais nova que ele, eu jogava pac man melhor que ele....kkkk

disse...

Ri muito!!! Adorei o novo layout, lindão! Eu nunca tive Atari, achava legal mais não a ponto de ter um, hj em dia eu vejo que perdi um monte de coisas legais do jogo...

Beijos

Luciana disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ... tô rindo demais Mari!!!

Verdade, eu não deixo levantar se cair no chão no Mortal Kombat!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ...

Bons tempos ... cara de almofada!!

Beijocas!

Irmãs disse...

Meu, maior lavação de roupa suja pelo blog ... hahahahahhahhaha.

Mari, se vc não jogar direito qdo jogar comigo eu vou mandar vc frô réu! hahahahahahahahaha.

Eu sou competitiva mesmo ... o importante é competir mas te mato de pancada se você não ganhar!

Beijos!


Sah