Páginas

19 de agosto de 2009

Mico no Batizado!

Pipous, eu pensei muito antes de postar isso aqui, mas já que aconteceu e eu sou a Sah - Fundadora do Movimento Diego-Souzista e da Sociedade do Palito de Fósforo posso me dar o luxo de pagar - mais uma vez - um mico histórico - não por vocês, queridos e fiés leitores, mas pelo bando de tarefeiros do cão que também leem o nosso blog - obrigada pela audiência de vocês também.

Além disso, é uma questão complicada pois envolve fé - e cada um tem a sua e sei que esse assunto é delicado. Pois bem - Domingo passado Clarinha foi Batizada. Como todo mundo aqui sabe, LUM e Fábio Cunha ( de cunhado ) são os Padrinhos da minha bebê e já sabiam que haviam sido escolhidos para o "posto" desde o inicio da minha gravidez. A LUM já sabia antes, já que eu já tinha dito à ela que o meu primeiro filho eu daria à ela batizar. Por tradição familiar escolhi a Igreja aonde eu, a LUM e a Mari fomos batizadas. Só que devo ser muito sincera aqui - eu entrei poucas vezes em uma Igreja - geralmente em Batismos, Casamentos e Missas de Sétimo Dia. Eu não tenho uma religião definida. O que eu sei é que eu acredito em Deus e em Jesus Cristo e para quem me pergunta qual é a minha religião digo apenas que sou Cristã. Aí as pessoas perguntam novamente: Cristã de qual Igreja? E eu digo - de nenhuma, as pessoas já me olham torto e pensam o que LUM me disse brincando depois do meu mico - Infiel. Eu sou do partido do Gabriel - O Pensador: "Não adianta olhar pro céu, com muita reza e pouca luta". Mais do que ir a Igreja todos os domingos temos que ser bons todos os dias - não porque Deus irá dar ou Castigar. Tá Sah, então pra que batizar sua filha? Simples - um dia ela irá escolher o seu caminho e sua religião eacredito que o batismo é importante pelo sacramento de dar um nome à criança perante Deus, independente da Igreja onde foi realizado.

O que aconteceu domingo - Simples, muito Simples - O batismo teve duas partes, já que foi durante a Missa das 10 horas. Na primeira, tudo Ok - Clarinha chorou muito já que deve ser realmente muito desagradável receber um monte de água fria na cabeça do nada - o Padre pediu para que nós saíssemos um pouco até ela se acalmar e ficamos na porta da Igreja acompanhando a missa - e aí, do nada eu comecei a passar mal de uma forma que eu nunca havia passado mal antes. Saí para tomar um ar, MD estava com a Clarinha e com meu Pai e eu tentando me reestabelecer quando o Padre manda a gente voltar para o altar e terminar o batismo. E eu, roxa de vergonha e mal conseguindo andar. Depois disso, quase desmaiei no altar. Tudo bem que eu estava muito nervosa, dormi apenas 4 horas durante a noite e tomei o meu café da manhã habitual - café e cigarro - mas nunca tinha tido um piti como o que eu tive domingo. O mais curioso é que eu entrei no carro e melhorei. Não comi, bebi apenas um copo de água e já estava bem.

Fiquei triste por quase ter estragado o dia da minha bebê e também por ter, de certa forma, desrespeitado - para os olhos de alguns - a Igreja deles. Não é porque eu não frequento e em alguns aspectos não creio no que eles pregam que eu não os respeito. Cheguei em casa, acendi um incenso e rezei um pai nosso. Posso não ser religiosa, mas acredito que as forças - de ambos os lados - estão aí e contra gente do mal temos que nos proteger mesmo - o que essas pessoas se esquecem é que tudo o que vai, SEMPRE VOLTA.

Beijos!

Sah

9 comentários:

MeL disse...

Eu passei muito mal tb,mas foi na evangélica...vai entender!

Irmãs disse...

Esquisito né ... eu lembro que vc contou ... mas acho q o meu nao foi igual ao seu nao ...

Elinha disse...

Olá!
Concordo quando vc diz que religião é coisa de fé e cada um tem a sua, e que temos que ser bons todos os dias.
Para mim é isso que vale, buscar fazer o que é bom e dormir em paz consigo e com os outros...
Parabéns pelo batizado da sua filha!
xero.

Fabi disse...

Eita lelê...
Eu passei mal, na Cadetral da Sé, mas foi de medo mesmo...

Uns santos muito grandes (nada contra quem acredita)pareciam que me olhavam com raiva...

Me pirulitei de lá catando cavaco...
Parecia que eu tinha tomado muitas!!


Faz parte!!!

Irmãs disse...

Ai Fabi ... só vc mesmo!

Flávia Romanelli disse...

Sah, penso como vc sobre religião e afins e já fui muito criticada por isso. Que bom que resolveu contar o mico, eu tava curiosa... mas que urucubaca hein amiga?
Quanto ao comentário do meu post esse delegado é um imbecil. Vcs tem que procurar que cuida de meio ambiente pois poulição sonora não é coisa de Polícia Civil. Aqui em Piracicaba temos o Pelotão Ambiental que mede os decibéis e multa quem ultrapassa o permitido por lei. Você também pode juntar seus vizinhos e fazer um abaixo-assinado e levar para o promotor do meio ambiente. Se ele acatar a denúnica abre um processo contra o barulhento.
Espero ter ajudado.

Bjão

disse...

Panqueca, essas coisas acontecem mesmo, relaxa pq como vc é temente a Deus, ele te conhece e sabe de tudo de sua vida e suas intenções.
Beijos

Flavia D'Álima disse...

Já desisti da igreja tem um tempinho, aliás acho que desisti de qualquer instituição religiosa, c/ fins lucrativos ou não, pelo menos por enquanto. Acho que rola muita hipocrisia. Gosto das igrejas antigas como a Catedral da Sé por exemplo que foi citada acima. Mas pq estudo Artes então...
Tb acho legal o batuque do ziriguidum se é que vc me entende?... Mas acho legal pq gosto de "bagunça", sei lá...

Liana disse...

“Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. o diabo, invejoso, fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento."
Machado de Assis

mais ou menos isso...

e a lei do retorno é universal, tudo q a gente faz, volta.